anestesico para animais e humanos

Os anestésicos são usados em casos de cirurgias ou outros procedimentos, para fazer com que o paciente ou animal não sinta dor.

É possível imaginar a necessidade de um anestésico, já que no passado, as cirurgias e operações eram feitos sem anestesia, e a dor era absurdamente intensa.

A anestesia veterinária é mais utilizada do que a em humanos, pois os animais têm certa dificuldade de cooperar no momento da operação cirúrgica, sempre havendo a necessidade de aplicação.

As principais espécies de animais que utilizam anestésicos são: gado, cães, gatos, ovelhas, cavalos, cabras e porcos.

Existem outros animais que necessitam do mesmo tipo de cuidado, animais selvagens, domésticos e pássaros, por exemplo.

Geralmente, os humanos e animais utilizam os mesmos tipos de agentes anestésicos.

Tipos de anestésicos

Existem diferentes tipos de drogas nesse nicho, elas são agonistas do receptor alfa-2.

Alguns anestésicos não são utilizados em humanos, outros são utilizados apenas em animais de grande porte, como cavalos, por exemplo.

Outros apenas em animais de pequeno e médio porte, outras em humanos e em animais, etc.

Mostraremos nos subtítulos abaixo algumas drogas de função anestésica, seus efeitos colaterais, usos e aplicações.

Cetamina

A cetamina é um medicamento utilizado para iniciar e manter a anestesia, induzindo um estado de transe, promovendo o alívio da dor, a sedação e a perda da memória.

Existem outros usos acerca desse medicamento, ele pode ser usado para aliviar dores crônicas, na depressão e nas terapias intensivas.

A cetamina age em algumas partes do organismo apenas, ou seja, ela faz com que a função cardíaca, a respiração e os reflexos continuem estáveis.

O efeito do medicamento começa 5 minutos após a aplicação, durando cerca de 25 minutos.
Quando a Cetamina é usada?

Geralmente, a Cetamina é usada como anestésico em crianças nos procedimentos menores, ou agente de indução, é um relaxante muscular, sendo usado na intubação traqueal.

Além disso, é utilizada em pessoas que sofrem de asma, ou que têm algum problema de obstrução das vias aéreas.

É utilizada em hospitais como um sedativo, em casos de procedimentos dolorosos e, também, em cirurgias emergenciais.

Em baixas doses, suplementa anestesias do tipo peridural, analgesia e raquidiana.

Pode reduzir o uso de morfina, por ter uma eficácia semelhante aos opioides em casos de emergência, tratando a dor aguda e a controlando durante o procedimento.

A Cetamina tem potencial de ser utilizada como um antidepressivo de ação rápida, reduzindo os pensamentos suicidas.

Efeitos colaterais da Cetamina

Existem efeitos colaterais comuns de ocorrer, porém, nenhum chega a ser grave.

Os efeitos podem incluir: confusão ou alucinações, agitação, elevação da pressão arterial e espasmos musculares. Os efeitos colaterais somem conforme o anestésico é eliminado do organismo.

Contra-indicações no uso de Cetamina

Para pessoas que têm problemas de pressão alta pode ser perigoso, pois aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca.

Como pode causar confusão e alucinações, pode ser problemático o uso desse analgésico em pessoas com algum distúrbio mental.

Para pessoas com problemas na visão, é preciso cautela também, pois pode aumentar o risco de perda da visão, pois ocorre um aumento da pressão intraocular.

Xilazina

A xilazina é semelhante a clonidina, sendo um agonista de classe a2 do receptor adrenérgico.

Este medicamento é utilizado na anestesia, sedação, relaxamento dos músculos e analgesia, geralmente é aplicado em animais de grande porte, como: cavalos, gado e outros mamíferos não humanos.

Em gatos, é aplicado pelos veterinários como um emético. Além dessas utilizações, é usada também no tratamento de tétano.

É muito semelhante a drogas antidepressivas de tipo tricíclicos e clonidina, como fenotiazina, por exemplo. Em seres humanos, é capaz de reduzir a captação de insulina e glicose.

Uso indevido de Xilazina

Apesar de sua utilização ser de maioria médica e veterinária, o uso de xilazina caiu em mãos erradas, especialmente em Porto Rico, pois com o desvio de estoques usados por veterinários equinos fez com que a droga perdesse um pouco o controle e caísse em mãos erradas, nesse contexto, a droga é utilizada como agente cortante da heroína.

Efeitos colaterais da Xilazina e overdose

Geralmente, a sobredosagem desta droga tendem a ser fatais em seres humanos, pois é um adulterador de medicamentos, os sintomas que acompanham a utilização desse medicamento podem variar.

Os efeitos colaterais incluem: depressão respiratória, bradicardia, hipertensão transitória secundária à estimulação do nervo e outras alterações cardíacas.

É preciso tomar cuidado com o uso crônico desse medicamento, pois pode causar dependência e deterioração física.

As doses fatais de xilazina em humanos variam de 40 a 2400 mg, se a pessoa afetada for atendida rapidamente por um médico, entretanto, não existe um antídoto para humanos que sofrem overdose de xilazina.

Romifidina

A Romifidina é geralmente usada como sedativo em animais de grande porte, como cavalos, por exemplo.

Entretanto, é utilizada em outras variedades de espécies, atuando como um agonista no a2 receptor adrenérgico subtipo.

Sua estrutura está relacionada à droga clonidina, mas não é usada em humanos.

Efeitos colaterais da Romifidina

Os efeitos colaterais dessa incluem depressão respiratória e bradicardia, geralmente é utilizada junto de outros medicamentos analgésicos ou sedativos, como o butorfanol e a cetamina. Para reverter os efeitos utiliza-se joimbina como antídoto.

Butorfanol

O Butorfanol faz parte da classe de fármacos opioides, sendo um analgésico sintético agonista-antagonista, é do tipo morfinano.

Em sua forma de comprimido, é utilizado apenas em gatos, cães e cavalos, pois há uma baixa biodisponibilidade em seres humanos.

Para que serve o Butorfanol?

Existem várias utilidades para esse opioide, como no combate à enxaqueca, sendo utilizado como um spray intranasal.

Pode ser utilizado durante o trabalho de parto, pois é capaz de amenizar dores moderadas a severas.

Além disso, pode ser usado por via parenteral, complementando a anestesia geral equilibrada.

O buterfanol pode ser muito eficaz, pois reduz o tremor pós-operatório. Esse fármaco tende a ser mais útil no alívio de dor das mulheres que nos homens.

Efeitos colaterais do Butorfanol

Por ser um analgésico opioide, é comum que os efeitos colaterais se assemelhem a outros tipos de opioides, os sintomas podem incluir: sedação, confusão e tontura. Os sintomas mais comuns são náuseas e vômitos.

Os sintomas menos comuns são os de efeito gastrointestinais, algumas pessoas registraram também um aumento de transpiração.

Cada um dos anestésicos citados neste artigo tem sua particularidade e contextos clínicos de uso, todos os usos devem ser administrados por um médico ou veterinário, pois alguns podem acarretar em problemas de saúde se mal administrados.