dor severa

Dor – conceito

Também conhecida como algia (termo técnico usado pelos médicos), a dor é algo que todo ser humano teve contato, desde os primórdios da existência, sendo assim, todo ser humano já sentiu dor e, todos a sabem diagnosticar.

A dor ocorre quando algum tecido corporal é lesionado, geralmente, a dor ocorre para alertar o nosso cérebro que algo está errado, no caso das dores de cabeça, isso acontece, pois o corpo interpreta a dor da mesma forma de uma lesão no tecido, mesmo que não seja isso.

Diversas são as causas de dores no organismo, como por exemplo: lesão nos nervos ou traumáticas, infecções, inflamações, dores de origem psicogênica ou distensão de órgãos ocos.

Os fármacos mais utilizados em dores severas

Existem diversos fármacos utilizados em doses severas, são também conhecidos como opioides.

Neste artigo iremos explicar a funcionalidade desses fármacos, desde a utilização até o momento correto ao ser utilizado.

Nos dias atuais, os pacientes, em casos de dores severas necessitam de medicamentos potentes para aliviar suas dores, diversos são os tipos de dores, que variam de acordo com o grau do ferimento, ou alguma causa biológica, como alguma doença, por exemplo.

Os opioides são medicamentos para dor narcótica e, se não forem usados corretamente, podem ter efeitos colaterais graves.

Como os fármacos opioides funcionam?

Os medicamentos opioides são os mais utilizados em casos de dores severas, pois eles agem diretamente nos receptores do cérebro, da medula espinhal e outras partes do corpo, fazendo com o que o cérebro diga ao corpo que ele não está com dor, ou seja, o medicamento irá inibir a sensação de dor do organismo, trazendo alívio ao paciente.

Os opioides são utilizados quando os medicamentos tradicionais de combate à dor não respondem no organismo, os opioides tem um poder de ação mais eficaz no alívio da dor do paciente, os principais fármacos opioides são: codeína, morfina, fentanil, tramadol, propoxifeno, oxicodona, meperidina, hidrocodona e metadona.

É claro que, os fármacos opioides só serão utilizados em casos de dores severas, se o paciente estiver sentindo uma dor de leve, serão prescritos para ele medicamentos tradicionais.

O uso de fármacos opioides na prescrição médica

Para que você possa utilizar um medicamento opioide, precisará da receita de um médico, ele irá prescrever as doses corretas a serem utilizadas de acordo com o nível de sua dor.

É possível receber doses ininterruptas no controle da dor, essas doses podem ser utilizadas durante o dia e a noite.

Conforme for necessário, o médico poderá prescrever opioides, caso ocorra uma dor muito forte apesar das doses já tomadas.

Conforme for utilizando o medicamento opioide, é de suma importância que você faça acompanhamento com um médico.

Mesmo que você queira parar de tomar o fármaco opioide, é preciso falar diretamente com o seu médico, mas se caso o medicamento não esteja funcionando corretamente, o médico poderá prescrever outro medicamento parecido ou então, aumentar a dose do que já está tomando.

Caso decida parar de tomar o medicamento, é preciso da ajuda de um médico para auxiliar na eliminação do opióide no organismo de forma lenta, caso você esteja tomando há algum tempo.

Esses passos são muito importantes, pois se cessar a utilização do fármaco de maneira abrupta, poderá sofrer com crises de abstinência.

Efeitos colaterais dos fármacos opioides

Uma das razões pelo qual os médicos têm que fazer o acompanhamento da ingestão desses medicamentos todo dia são os efeitos colaterais, como: prisão de ventre, sonolência, náuseas e vômito.

E, também, é preciso tomar cuidado ao ingerir esses medicamentos, pois se você toma bebidas alcoólicas ou outras drogas, como antibióticos, pílulas para dormir ou antidepressivos, os opioides podem se tornar potencialmente perigosos.

Fármacos opioides – Tolerância e dependência

Além dos efeitos colaterais, é preciso ter cuidado com o uso de opioides, pois depois da utilização por um determinado período de tempo, você pode ter a impressão de que precisa de mais drogas para obter o mesmo alívio de dor, é nesse caso que acontece a tolerância do organismo ao medicamento, mas, diferentemente da dependência, a tolerância não envolve o uso compulsivo da substância.

Ao utilizar por um longo período de tempo, o paciente poderá desenvolver dependência, isso ocorre por conta da utilização prolongada, pois o organismo já está tão acostumado com o medicamento que, caso o uso do medicamento cesse de forma abrupta, poderá acarretar em sintomas de abstinência, como: diarreias, náuseas, vômitos, dores musculares, ansiedade e irritabilidade.

Porém, existem formas de utilização para que esses sintomas não ocorram, e, é por essa razão que os usos desses medicamentos são supervisionados.

Os fármacos opioides mais utilizados

Codeína

Esse medicamento, no geral, é utilizado para alívio de dores leves a moderadas, é pertencente das classes de medicamentos conhecidos como analgésicos opioides. Esse medicamento muda a forma como o corpo reconhece a dor, trabalhando diretamente no cérebro.

Morfina

A morfina é um opioide que age de uma forma parecida com a codeína, também mudando a forma como o corpo reconhece a dor, porém, é utilizada em casos de dores moderadas a severas.

Fentanil

Esse fármaco, que também é um opioide, é utilizado em casos de dores contínuas graves, dores causadas devido ao câncer, por exemplo.

Tramadol

Assim como os listados acima, o tramadol tem ação central, ou seja, alivia a dor das células nervosas encontradas no cérebro e na medula espinhal. Os receptores opioides do cérebro, quando combinados ao medicamento, bloqueiam os estímulos da dor.

Oxicodona

Esse fármaco é muito semelhante aos outros da lista, um forte inibidor da dor e supressor da tosse. A ação desse medicamento no organismo é precisa, apesar de não eliminar a sensação de dor, diminui o desconforto, o que aumenta a tolerância à dor.

Hidrocodona

Esse analgésico é um fármaco opióide muito semelhante à morfina, metadona, oxicodona e fentanil. Sua utilização é prescrita para o tratamento de dores intensas à longo prazo que outros medicamentos do mesmo nicho não foram suficientes para tratar, ou seja, é um opióide para dores extremamente intensas.

Propoxifeno

É um fármaco utilizado para dores leves a moderadas, inibe a dor e é um anti-tosse narcótico.

É mais fraco que a morfina, a codeína e o hidrocodona, mas age de maneira eficaz, assim como os três citados, conforme o uso para a situação determinada.

Metadona

Muito semelhante a outros fármacos, a metadona é forte e sintética. Ela atua no sistema nervoso central, auxiliando no controle da dor e tratando a dependência de estupefacientes.

Meperidina

também é um opioide que, além de ajudar a aliviar dores moderadas a graves, pode ser usada antes ou durante cirurgias e outros procedimentos médicos.

A meperidina é semelhante à morfina, também trabalhando no organismo, mudando a percepção de como o mesmo sente e responde à dor.

Todos os medicamentos listados acima são muito eficazes ao combate à dor, principalmente de dores moderadas à grave, e por essa razão, eles são utilizados até os dias atuais, pois são muitas as suas utilidades e auxílios durante tratamentos de pacientes que sofrem de dores severas.

Os usos desses medicamentos são legalizados, desde que feito com o auxílio de um médico e, por serem muito fortes, deve-se tomar cuidado com o uso dos mesmos.